terça-feira, 30 de junho de 2015

"...Elite Ultra Trail Serra da Freita 2015..."

...tudo acontece "pelo menos" por uma razão!!!
...termina Junho, com ele, o fim do primeiro semestre, no qual conquistei ser Finisher em; UTCTS»115km + MIUT»115km + UTSM»100km, aproximando-se em simultâneo a conclusão de um longo ciclo de 5/6 anos, entre inúmeros trilhos, na busca de um dia vir a conseguir ser um simples Ultra Maratonista de Desafios d`Aventuras em Ultra-Trail Running...
...de momento falta-me apenas um Ultra Desafio, previsto no meu "Rascunho/2015", sendo este a "voltinha" mais longa ate então, permanecendo tranquilo não só entre aquilo que consegui, mas também no que venha a pretender no futuro, este repleto de incertezas, tal como qualquer km, num qualquer Desafio...
...no entanto, Junho foi um mês, diversificado!!!
...como sempre, voltei a empreender tempo e dinheiro na renovação do meu Certificado Anual de Aptidão Física, conforme determina o Despacho nº 11318/2009, realizando consulta no Departamento de Medicina Desportiva e Laboratório de Analises e Dopagem de Lisboa, que consiste numa avaliação medica-desportiva com bateria de exames específicos, cumprindo os pontos constantes no modelo publicado em (D. R. nº238 de 13.12.2006-serie) significando o melhor investimento em mim próprio, de uma vez que o meu actual estado de saúde é observado e avaliado por diversos especialistas, adquirindo a documentação  de Certificação de Apto, que me atesta os requisitos exigidos por parte das melhores organizações de Ultra Desafios...
...existiu tempo para uns merecidos dias de ferias na "nossa" Manta Rota, de onde regressamos ate este "nosso" Alto Alentejo para conquistar em plena madrugada de São João o meu 45º Aniversario e festejar na companhia da minha Alcateia familiar...
                          ...foi ainda tempo de doar a minha 47ª Dádiva Benévola de Sangue, mantendo o principio educativo de solidariedade com o próximo, este um anónimo, sem pretender algo em troca, neste mês em que os km acumulados foram reduzidos, para assim recuperar pequenas mazelas que atormentavam este usado esqueleto...
...já na recta final do mês, após algumas alterações de agendamento, rumei ate Arouca para Desafiar a Serra da Freita, desejado Desafio que permanecia adiado nos tempos por falta de oportunidade...
...desta feita, o companheiro de viagem vinha de Barrancos, o "Grande Compadre"  Ico Bossa, ao qual me junto em Portalegre, onde entre um calor castigador, saímos determinados ate Arouca, realizando secretariado assim que chegamos, montando de seguida cada qual a sua "Suite Estrela" (made in Alentejo) no sintético do Complexo Desportivo, após o final de um encontro de futebol que decorria...
...entre o reencontro de Amigos e Conhecidos, tenho a honra de ser apresentado ao simpático Casal "www.praticamentequenianos.com" Joel e Sandra, também eles Aventureiros, com quem partilho da sua agradável companhia enquanto saboreamos um merecido jantar composto por uma Posta Arouquese...
...sublinho que foi um "Privilegio" partilhar da companhia de Gentes como o Ico, o Joel e a Sandra que independentemente das distancias ou do tempo em que permanecemos na modalidade, são possuidores de um espírito saudável...
...Obrigado, permaneço muito grato a todos!!!
...assim, na madrugada de sábado 05h , entre a infernal barulheira por parte de alguns participantes, termina o meu descanso e sem opções de escolha, dou inicio aos preparativos, tomo pequeno-almoço segundo a receita do Ico, (grande ementa) realizo controlo 0km, existindo tempo para uns momentos com o "mentor" do Desafio, o "carismático" João Moutinho "Grão-Mestre" da Confraria Tratamontes, seguido de uns momentos com o conterrâneo Carlos Paulino que vai Desafiar os 65km da UTFreita...
...por volta das 07h saímos numa partida simbólica, celebrando uma simbólica homenagem ao "memorial Salvio Nora » Ultra-Maratonista", sendo procedida de uma partida oficial, que me autoriza a sair de Arouca rumo aos trilhos...
...as altas temperaturas já se faziam sentir, agravando o  grau de dificuldade no Desafio que tinha escolhido Desafiar, a "Elite Ultra Trail Serra da Freita" composto por uma ementa de 100km » 5800m D+...

...iniciei em lume brando, ficando em brasa na medida que transpunha o primeiro sector que liga Arouca ate 1ºAbt. Estrada-Eólicas numa subida de 9km  » 870mD+...
...estava servido o primeiro aperitivo, havia que prosseguir a rolar entre trilhos de mato rasteiro e sem grande dificuldade na enorme companhia do Srº Jorge Sarrazinas, ate atingir o 2ºAbt.Tebilhão 22km » 1185mD+, onde abasteci e me refresquei entre agua corrente e límpida...
...continuei, trilhando os obstáculos naturais, apreciando a paisagem sempre que a tecnicidade dos trilhos me permitiam, pois existia muita pedra solta, armadilhas que a própria natureza construiu ao longo do tempo, chegando ao 3ºAbt. Covelo de Paivô 34km»1515mD+...
...de lá sai, com a informação que as dificuldades aumentavam, tendo sentido no esqueleto os 14km de ligação, com atribuladas cabeçadas em árvore e na rocha do tecto na saída de um túnel soterrâneo, que me partiu o alto da cabeça e os óculos de sol, deixando-me zonzo e a sangrar um pouco, refrescando a mente, o corpo, lavando as feridas por entre as inúmeras travessias de um rio, na companhia do Miguel Brites, com quem comento a seguinte afirmação (a cabeça já de si não funciona muito bem, a levar pancada desta forma vai ser lindo, vai) e assim entre risos conquistamos o 4ºAbt. Portal do Inferno 48km » 2700mD+, onde tenho a honra de ser felicitado pelo também Chefe Scout e Companheiro de Ultra Desafios Carlos Natividade Silva...
...havia que continuar a luta honesta que sempre travo com a serra, os trilhos e o calor sufocante, numa paisagem de mato rasteiro e muita pedra, sem floresta protectora, onde somente de quando em quando me cruzava com umas cabras de raça pequena, sem cabreiro, apenas acompanhadas por uns cães famintos...
...os trilhos técnicos obrigavam-me a escalar autenticas paredes ate aos cumes das serras, que de seguida desciam numa inclinação vertiginosa ate ao leito de um rio de agua límpida como ainda nunca tinha presenciado, de onde bebia, onde me molhava na busca de arrefecer a temperatura do fustigado esqueleto, prosseguindo em solidão ou na companhia de um companheiro...
...aos 52km cheguei junto do Marco Melo do Team Scalabis Night Runners, com quem prossegui, conquistando um local mítico em termos pessoais, a Aldeia DRAVE do Corpo Nacional de Escutas, a Base Nacional do Clã "4ºSecção
Caminheiros" que os mesmos recuperam no tempo...
...é um local fascinante, tendo o privilegio de contemplar ao vivo e assim realizar um sonho antigo, caminhando através do meu imaginário na forma de vida dos antepassados, num local completamente isolado, rodeado de montanhas rochosas, onde certamente viviam diariamente entre o essencial, numa admirável ignorância sobre o mundo exterior, mas repletos de sabedoria que lhes permitia uma sobrevivência autónoma, esquecidos e isentos de impostos...
...após este momento nostálgico, inicio a escalada do trilho dos 3 pinheiros, que num futuro breve passa ao trilho dos 2 pinheiros, pois um deles encontra-se já completamente seco, tendo inicio uma indisposição, em simultâneo com falta de força, vómitos, a visão distorcida, as primeiras cambras surgem obrigando-me a parar, a suportar a dor, entre alongamentos com massagem improvisada...
...o esqueleto estava a desmoronar-se, havia que o organizar, restando-me arrastar-me pelo cume acima, não existia outra forma de conquistar o 5ºAbt. Povoas das Leiras 60km »3515mD+, local de corte de passagem, recebendo a informação que estava 30º Geral com 11h00 de Desafio, 3h30m de vantagem sobre o tempo de passagem de corte 14h30 de Desafio 21h30 locais...
...abasteci mochila, pedi comida, hidratei-me, aguardei pelos sinais do corpo, reflecti sobre optar por recuperar no tempo que possuía de avanço sobre o tempo de corte e fiz contas, tendo ainda 16h para realizar os restantes 40km...
...telefonei a um Amigo, descrevi o meu estado, recebendo como conselho, a "Difícil" opção de retirar-me do Desafio, optando por "Abandonar" o mesmo, perdendo o objectivo de ser finisher na Freita, salvaguardando a preparação continua para o meu objectivo de 2015...
...confesso que ainda assim, resisti durante 1hora no intuito de ignorar os sinais do corpo e prosseguir, mas não seria a melhor opção, pois tinha que respeitar os sinais do corpo e os objectivos propostos, transmitindo esta informação a organização, retirando o dorsal de seguida...
...quem bem me conhece, sabe que não sou de "Desistir" de algo a que me tenha proposto!!!
...também sei, que estando a modalidade a crescer no numero de participantes, "...Elite Ultra Trail Serra da Freita 2015..." não é um Desafio qualquer, não é uma corrida de "Coreto" eleita nas preferências dos atletas de Facebook, mas sim um Desafio onde poucos se Aventuram, onde somente os Ultra Desportistas buscam um combate d´Aventura, composto por Trail Puro, Duro, muito técnico, num traçado "Agridoce", onde se Contempla e se Ama a serra e as suas paisagem, Odiando-se em simultâneo face ao desgaste físico/mental que a mesma provoca...

...desta feita e pela primeira vez tive a difícil tarefa de reflectir e assim optar por "Abandonar" o Desafio, sublinhando que não Desisti, apenas Abandonei, reconhecendo que perdi e a montanha ganhou, pois quem desiste não regressa, mas eu, oportunamente irei regressar a Desafiar a "Besta" apelido atribuído nos bastidores do Ultra Trail Running nacional...
...reconheço ainda que sinto maiores dificuldades com o calor, muito embora sublinhe que face ao que presenciei, esteja  um sol quente, vento fresco ou chuva, a Serra da Freita nunca terá um clima perfeito para colaborar com quem a Desafiar...
...de momento, já recuperado, foi tempo de reflectir na busca dos erros cometidos, corrigir os mesmos neste mesmo tempo e assim ficar mais forte...
...sai da Freita derrotado, recebendo uma inesquecível lição, onde humildemente reconheci que quanto mais me Aventuro, melhor descubro as minhas limitações, reconhecendo o tão pouco que sei, percebendo o quanto tenho para crescer...
...obrigado a todos os voluntários, colaboradores e organização que me possibilitaram esta "Soberba" Experiencia!!!
...um agradecimento muito especial pela atenção dispensada a Flor Madureira...
...ate Breve, "Besta" "...Elite Ultra Trail Serra da Freita 2015..." voltarei oportunamente, lfmricardo

sábado, 16 de maio de 2015

"...UTSM » Ultra Trail São Mamede 2015..."

...esta minha terceira UTSM » Ultra Trail São Mamede 100km, prevista no meu "Rascunho de Desafios d´Aventuras 2015", decorreu dentro dos parâmetros estabelecidos, representando não só a participação em mais este Desafio que compõem o Circuito Nacional de Trail Ultra Endurance da ATRP » Associação de Trail Running de Portugal, mas também em simultâneo, na realização de mais uma "voltinha" de convívio, camaradagem, divertimento e Aventura entre muitos dos trilhos da minha Infância...
...assim aconteceu, devido a todas as entidades locais envolvidas, e ao enorme Empreendedorismo, Esforço, Dedicação e Trabalho, despendido entre todas os voluntários, colaboradores e o incansável "Staff" do ACP » Atletismo Clube de Portalegre, que no seu todo simbolizam as "nossas" Gentes Alentejanas!!!
(...)
...assim, no final da manha de sexta-feira, realizo secretariado, que funcionava de forma eficiente no Estádio Municipal Prof. Eduardo Sousa Lima, local de toda a Base dos Desafios, iniciando os preparativos do meu equipamento após o  almoço, permanecendo no decorrer da tarde ao ritmo do tempo, mais propriamente na sua calma toada, que me transporta no momento de retemperar o estômago com  um preciso jantar após a chegada do Amigo Luís Matos Ferreira, repetindo o gosto em receber no "nosso" habitat familiar, e assim usufruir da sua agradável companhia...
 ...após o seu acolhimento e o retemperar de energias, era tempo de nos deslocarmos para a base do Desafio, localizado no referido Estádio, onde ao som do Grupo musical local "Só Xutos" realizo o controlo de material obrigatório sobre a prestável atenção do Nuno Filipe Rodrigues, entrando para caixa km0, reencontrando por ali muitos Amigos entre os quais os "Guerreiros Vicentinos" José Presado, Nuno Assis e Pedro Vaz que tal como eu aguardávamos pelo inicio do Desafio, e o restante "Team" composto pela Liliana, Anatilde, Roberto, Lousada e o Emanuel que também eles iriam Desafiar outras distancias...
...na companhia da Rita Ricardo, escuto novamente os seus conselhos e revemos a estratégia, enquanto da foto pela "Cortesia" da Vitorina Mourato, Grande Senhora e Atleta local, permanecendo muito tranquilo e confiante para transpor os 100km de incertezas que tinha pela frente...
...a hora prevista, ao som dos Xutos, saio descontraidamente, na busca do meu espaço e ritmo, relembrando que um dos principais objectivos era cruzar aquele insuflável final...
...os primeiros km são percorridos no meio de alguma agitação provocada pelo pelotão que vai compacto, subindo e descendo os trilhos do monte da Frazoa que me leva ao sitio da Biquinha, curta passagem em alcatrão, para onde se deslocaram muitas pessoas que incentivam todos os Aventureiros...
...os trilhos estão secos, o vento sopra forte, por vezes de frente, existindo muito pó e impurezas no ar, atingindo o 1ºPac na Adega Altas Quintas, continuando ate ao 2ºPac na Vila de Alegrete, este, localizado apenas na Vila mais Bonita deste "meu" Alto Alentejo, de onde orgulhosamente sou natural, reencontrando ali inúmeros Amigos...

                                                                                                                                                                                                                                   ...ao seu responsável, Luís Maurício, respondo a sua questão, afirmando que ate ali, estava tudo TOP, prosseguindo em frente, com a informação que o vento estava forte e as temperaturas baixas na Serra de São Mamede, conquista assim o 3ºPac no alto das antenas desta mesma Serra, contabilizando 30km de Desafio e reencontrando o Grupo de apoio Vicentino...

...sentia-me bem, comi algo e bebi café, continuo com a mente no 4ºPac em São Julião, onde me coloco sem dificuldades, sendo carinhosamente recebido pelos responsáveis do Pac, os  Amigos Fernando Carvalho, Miguel Serafim entre outros, nomeadamente a Lurdes, a Inês, a Rita Ramos e o Rui Alvarão...
...de lá sai, na companhia do Carlos Charrua, outrora ciclista profissional, transmitindo-lhe que brevemente iríamos assistir ao fantástico nascer do sol, entre os trilhos da Sierra Fria, que nos conduziam a portela do Porto da Espada, 5ºPac, onde sou novamente brindado pela saborosa bifana do Amigo Pépe, entre umas fotos do Ângelo Carrapiço, que testemunham no tempo o grande lateiro/comilão que sou...
...satisfeito e confiante, prossigo percorrendo os trilhos da Serra Selada, desço e refresco os pés na travessia do rio Sever, rumo a trilhar as calçadas romanas que me levariam a conquistar o Imponente Castelo de Marvão, 6ºPac, 60km de UTSM, sendo saudado pelo Prof. Drº Domingos Bucho, responsável pela saborosa sopa que ingeri entre outras iguarias, abasteço e realizo as restantes preparativos, envio "Sms" a Rita Ricardo transmitindo-lhe informação, enquanto reencontro o Amigo Luís Ferreira, o Zé Grande e o Paixão, entre outros...
...obtenho conhecimento através do Filipe Presado, que os restantes "Guerreiros Vicentinos" estão todos bem, prosseguindo cada qual os seus Desafios, o que me deixa bastante satisfeito!!!
...onde entra um "Vicentino" sai um "Finisher"!!!
...desço a calçada romana ate Portagem, rumando em direcção ao Cancho do Lobo, conquista exigente, onde me junto na companhia do "Camarada" João Miguel Semedo, que representa com Dignidade a "nossa" Academia Militar, atingindo o 7ºPac em Carreiras, onde a Rita me aguarda...
...realizo os preparativos de ocasião e prossigo, ate ao 8ºPac, na Srª Penha de Castelo de Vide sobre a coordenação do Amigo Sérgio Carinhas e Paula Matos...
...continuo empurrando o esqueleto, na fase do circuito que pessoalmente menos aprecio, facilitando a passagem dos participantes no TCSM/25km, atingindo sobre um escaldante Sol, o 9ºPac Convento da Provença, onde abasteço de líquidos e mastigo um pouco de pizza...
...consciente do ate então conseguido, prossigo com as forças necessárias para conquistar os trilhos da Serra da Srª da Penha de Portalegre, local do 10ºPac sobre a orientação do Amigo Rui Monteiro...
...desço determinado a escadaria e percorro os km finais, com o insuflável final na mente, o que acontece naturalmente após uma progressão nos trilhos adequada nas minhas limitações, ao planeamento estabelecido atingindo assim todos os objectivos estabelecidos!!!
...o momento de cruzar o insuflável final, representa mais uma conquista neste usado esqueleto, transformando os 100km de incerteza, agora na certeza de uma luta honesta e justa com os obstáculos naturais do Desafio e as suas adversidades...
...percorrer os "meus" trilhos naturais, impossibilita-me de saborear a apreciável adrenalina por Desafiar-me partindo na descoberta do desconhecido, mas por outro lada, possibilita-me fazê-lo com uma enorme paixão, recuando nos tempos, recordando com felicidade a minha infância entre a saudosa companhia do meu falecido Pai, enquanto das nossas permanências e seus ensinamentos nesta "nossa serra" nas suas funções profissionais na Circunscrição Florestal de Portalegre, agora Parque Natural da Serra de São Mamede!!!
...considero-me um sortudo por permanecer nesta "nossa serra" desde a infância, conhecendo-a como poucos, respeitando e protegendo para que todos possam desfrutar da mesma, lamentando a falta de princípios de alguns...
(...)   
...para finalizar este meu "Uivo", acrescento que o circuito percorrido de 100km, foi semelhante ao da passada edição, tal como toda a estrutura envolvente, com ligeiras alterações, mas que certamente possui a intenção de partilhar e possibilitar uma agradável viagem d´Aventura entre aqueles que se deslocaram ate este "nosso" Alto Alentejo, tantas vezes esquecido e necessitado destas agitações saudáveis...
...exponho nesta ultima ilustração, alguns números apresentados pela organização, restando-me agradecer os excelentes momentos vividos nesta minha 3ª UTSM, a todos os Amigos e conhecidos que me saudaram e acarinharam...
...também á "Extraordinária" Alcateia, composta por Familiares, Amigos e Colaboradores, que através das suas mais diversas formas contribuem para que eu atinja os meus objectivos...
...o meu muito Obrigado a todos!!!
...não existe a necessidade em vos descrever, pois vocês sabem quem são!!!
...despeço-me por momentos, enviando aquele Abraço de Amizade, lfmricardo

quarta-feira, 15 de abril de 2015

"...MIUT » Madeira Island Ultra Trail 2015..."

...o MIUT » Madeira Island Ultra Trail, foi um "Inesquecível Desafio d´Aventura" que decorreu na ilha da Madeira, deslumbrante local, descrito como a "Pérola do Atlântico"...
...o MIUT 2015, integrou o calendário do Circuito Nacional de Trail Endurance em simultâneo com a atribuição dos Campeões de Portugal de Trail Ultra Endurance da ATRP » Associação Trail Running de Portugal, repetindo o estatuto da MIUT 2013, conseguindo em ambas as Edições, conquistar a adesão da Elite do Trail Running Nacional...
...fez ainda parte nesta edição do UTWT » Ultra Trail World Tour na categoria de "futuro race", passando a "efectiva race" e pontuável do World Tour no próximo ano!!!
...classificada de grau 3 em dificuldade, atribui aos "Finishers" 4 pontos para "UTMB » Ultra Trail Mont-Blanc 2016, proporcionando-me ainda o estimulante Desafio de atravessar a ilha no sentido noroeste-sudoeste, com inicio em Porto Moniz, ao nível do mar, com passagens pelos pontos mais altos para depois regressar ao nível do mar, em Machico, numa incursão pelo património mundial natural da UNESCO!!!
...assim, tive o privilegio de Uivar ao ritmo do "Bailinho" da Madeiraentre 115km com 6848m D+ de Trilhos Soberbos e Inesquecíveis!!!





...a viagem de Portalegre ate Lisboa foi tranquila, dentro da normalidade, como também o voo entre aeroporto Lisboa e Funchal, onde após as formalidades de viagem, fazia tempo de levantar uma viatura auto e viajar ate Machico, onde fomos muito bem recebidos e excelentemente alojados, para uma "Desejada" estadia de 6 dias de ferias em simultâneo com a participação na "Deslumbrante" MIUT...
...toda a base e centro logístico do Desafio, Secretariado, Protecção Civil, Posto Medico e Fisioterapia, era em Machico, anexo ao Forum, numa praça entre jardins, esplanadas, junto do Atlântico, sendo montada uma enorme tendaa 100m do nosso alojamento...
...estiveram 500 voluntários espalhados pela ilha, incluindo nos 12 postos de abastecimento e controle de passagem com leitura de Chip em pulseira inviolável, num total de 1300 Trailers, nas quatro distancias existentes, oriundos de 30 nacionalidades...
...o ambiente envolvente era fantástico, a diversidade, os estilos, as posturas, as t-shirts que cada um envergava, simbolizavam conquistas, lutas pessoais, testemunhos enquanto "Finishers" nos mais emblemáticos Desafios do planeta...
...ia saboreando tudo isto enquanto realizava o meu processo de secretariado, confirmando a obrigatoriedade no envio digitalizado via mail do meu certificado de Aptidão Física, respondi a um formulário medico, assinei um termo de responsabilidade, recebo o chip de controlo em pulseira inviolável no pulso, chip na mochila com material obrigatório, recebo dorsal com apresentação BI ...
...com tudo tratado, era aguardar que o tempo me transporta-se para o inicio do Desafio, sendo tempo para iniciar uma visita pela "Pérola do Atlântico"...
...assim, na companhia da Rita Ricardo, a companheira de sempre, percorremos estradas, atravessamos montanhas pelos túneis que nos colocavam em sítios fantásticos, diversificados entre si, possuindo cada qual o seu significada, desde o Machico, a beira do Atlântico no Caniçal, nas montanhas, em altitude no miradouro da Eira do Serrado, no mítico Curral das Freiras ou na cidade do Funchal, entre muitas paragens em locais admiráveis!!!
...os primeiros dois dias foram fantásticos, chegando o momento de jantar, equipar, ultimar pormenores e apanhar autocarro que nos transportou de Machico ate Porto Moniz, atravessando a ilha do local chegada para o local da partida do Desafio...
...por lá, enquanto aguardava pelo tiro de partida, foi o continuar do reencontro de Amigos, seguindo-se altura para entrada na caixa de controle 0km!!!

...por fim, tem inicio o tão "desejado" Desafio d´Aventura, e saio com cautelas, conhecedor que os primeiros 30km ate ao sitio dos Estanquinhos seriam "arrasadores" contabilizando 2867m D+, com dois cumes de montanha conquistados ate então, o Fanal e Estanquinhos...

...seguiram-se mais 45km, algo idênticos, conquistando os cumes da Encumeada, Curral das Freiras local de Base de Vida, seguindo para o Pico Ruivo e Pico do Areeiro, contabilizando aos 75km 6122m D+...
...durante a noite, quando atingia uma determinada altitude, o frio gelava-me o corpo, obrigando a recorrer do corta vento e luvas...
...o desgaste era notório, transformando os restantes 40km numa admirável luta físico/mental, mantendo o objectivo de transpor o pórtico final localizado em Machico, conforme veio a acontecer...
...o MIUT, por muito que se tente, é indescritível, no entanto sobrescrevo a citação do José Capela, companheiro de muitos km...
José Capela
"Há trail e há o MIUT.
O abismo num fundo de perder a vista, o céu na palma das nossas mãos.
Veredas, levadas, falésias, bosques, picos.
A noite escura, o orvalho, o nascer do dia ao som da passarada.
O movimento rápido das nuvens, o nevoeiro, o sol por vezes quente e castigador; outras, ameno e reconfortante.
A noite que aparece sorrateiramente serena e silenciosa transportando o cheiro a aipo, o suave barulhinho do mar e o som animado das cagarras.
O MIUT é uma maravilhosa viagem entre o Porto Moniz e o Machico contada pelas escadas e escrita com os bastões!"

...quando transpus o pórtico final localizado em Machico, degustei o sabor de mais uma conquista, uma "Soberba" conquista por entre os 115km de trilhos deste "Inesquecível" Desafio, apelidado de MIUT » Madeira Island Ultra Trail, onde travei uma luta justa, digna, honesta com a montanha e todos os sues obstáculos naturais e suas adversidades...
...quando transpus o pórtico final, recordei todos os companheiros de km enquanto o Desafio, nomeadamente o Pedro Pinho (30km), Sandro Jordão (60km), José Capela (70km), Marco Caíres (75km) e tantos outros...
...quando transpus o pórtico final, recordei alguns dos que contribuíram nas suas mais variadas formas por eu permanecer ali, naquele momento tão especial, nomeadamente a Rita Ricardo pela compreensão desta forma de vida, pelo apoio e companhia, assim como as nossas filhas Sílvia e Mariana pelo incentivo e motivação, a minha Mãe e Irmã Vanda pelo apoio, incentivo e presente, ao Rui e Bruna pelo acolhimento e colaboração em Lisboa, ao "camarada" Capitão Cláudio Quelhas GIPS/GNR, Fernando Salvador do Paredes Aventura, Eduardo Santos de O Mundo da Corrida pelas dicas, conselhos e Amizade, aos "Guerreiros Vicentinos" pelo apoio, incentivo, Amizade, ao Daniel Dias pelas palavras de Amizade via Sms...
...muito, muito, muito Obrigado a todos!!!
...permaneço ainda muito grato aos companheiros d´Aventura presentes da Desnível Positivo, do Paredes Aventura, dos Trinca Espinhas e ACP, pelos momentos partilhados entre o fortalecimento das Amizades existentes, e também ao "Staff" e seus voluntários e colaboradores do Clube de Montanha do Funchal, pelo "Magnifico" trabalho desenvolvido e colocado ao serviço da comunidade do Trail, onde eu tive a honra de estar...
...com a certeza de "objectivo" conquistado no Esqueleto, era tempo de retemperar forças, recuperar do desgaste, e continuar a conviver com os Amigos...
 ...permanecemos a descobrir os lindos recantos da "Pérola do Atlântico" voltamos a atravessar a ilha, de Machico, ate Porto Moniz, agora de dia, apreciamos a beleza natural, do local de onde tinha iniciado o Desafio enquanto noite...
...na viagem, subindo a ribeira Brava, conquistamos as vistas do Cabo Girão, na sua planta-forma de miradouro a 580m de altura, sobre o mar, aproveitando ao máximo todos os momentos, todas as oportunidades, que o tempo de regressar aproximava-se ao final de 6 "Saudosos" dias!!!
...esta é apenas a minha simples forma de permanecer na vida, assim como no Trail Running enquanto simples desportista, pretendendo continuar a trilhar o meu próprio caminho, a UIVAR, nesta caminhada de incertezas, com o desejo de regressar novamente numa futura edição da MIUT!!!
...transpor montanhas longínquas, viajar para novos destinos, conviver com outras comunidades, é apenas uma das melhores formas de crescimento e aprendizagem sobre nós próprios...
...transportamos connosco, momentos únicos que serão "Inesquecíveis", registando um ate breve, MIUT, Madeira "Pérola do Atlântico", Dona Maria José, voltaremos um dia...
lfmricardo